Vida atual: a Tecnologia e a Família

Professora e Psicologa Marli Terra Verdi fez uma reflexão especial para o Jornal da Vida.

– A família toda em nossos dias inevitavelmente usa a tecnologia, seja através dos aparelhos eletrodomésticos  que utilizamos em casa, seja com os celulares e computadores que nos acessam ao mundo virtual.

O mundo virtual é o mundo que existe através destes aparelhos, mas que não é o mundo real, pois só existe na tela, ou através de algum aparelho e que pode, dependendo da pessoa que usa, ser confundido com o mundo da realidade.

As crianças ou adultos com dificuldades no imaginar terão uma tendência a confundir  estes níveis de realidade, a real e a virtual.

Estou, neste momento em que escrevo sobre isto para conversar com vocês, num aeroporto. Tenho a minha frente 15 pessoas e somente duas não estão usando um telefone  celular neste exato momento em que reflito sobre estas questões.

Portanto não teremos volta, será daqui pra frente, o convívio com este aparelho, que vai  mediar nossa vida cotidiana.  E  pensar que o celular existe há trinta anos e que nós só tivemos mesmo acesso a ele há vinte anos. Mas  chegou para ficar assim como a geladeira, o fogão a gás e outros aparelhos que a tecnologia criou.

Mas que fenômeno é este no ser humano que o faz se apegar tanto aos aparelhos e parece preferir viver e ser dependente de próteses que facilitem o  viver. Parece que sempre queremos facilitar para aparentemente termos mais tempo e vivermos mais felizes.

Parece entretanto que agora consumimos nosso tempo com os aparelhos que facilitariam nosso tempo. Preenchemos qualquer minuto com os nossos celulares Whatsapps, face books, instagrans. E nossa preocupação mais humana é e será sempre com o amar e com o sermos amados. Agora com amores e contatos virtuais.

Voltando ao problema dos que ainda não tem capacidade de imaginar e podem confundir o virtual e o real, veremos alguns acreditarem demais nos vínculos e amores virtuais e abandonarem ou perderem por isso amores reais. Quantos namoros e casamentos hoje são desfeitos porque um dos cônjuges se apaixonou virtualmente por outras pessoas ou mesmo foram descobertos trocando mensagens com alguém.

As crianças que ainda estão construindo sua imaginação podem confundir mesmo os jogos virtuais e considerarem reais já que provocam sentimentos reais, como medo, raiva, revolta, etc.

Desta forma, diferente da geladeira que é feita para gelar e gela e mesmo do telefone que nos fazia falar com alguém que, se atendia, estava lá de verdade e te ouvia e respondia e era alguém de verdade. Hoje a virtualidade nos traz situações que não são de verdade  sempre, pois são virtuais e virtual e real são coisas muito diferentes.

Marly Terra Verdi para a Rede Vida de Televisão

Compartilhem nas Redes Sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *